22
Jun 08

 

Mote                                                   (joao moniz pereira)
Terra árida adormecida
Que dentro de mim ficou
Perene, adormecida
Vieste tu e findou
 
Espreguiçada num pranto
Numa chuva desmedida
Onde tu foste o meu manto
Terra árida adormecida
 
Qual gota de cetim caída
Num fogo que acordou
Fez incendiar a vida
Que dentro de mim ficou         
 
Terra que a lua inundou
Sorrateira e atrevida
E assim me deixou
Perene, adormecida
 
Terra era eu secando
Num tempo que não alterou
Deserto que foi magoando
Vieste tu e findou.
Ausenda Hilário

 

publicado por Utopia das Palavras às 22:17

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria