20
Jun 09

(Inês Gato)

Afligem-me as asas que murmuram
Em vez do voo
E os cheiros que perduram
No corpo onde o amor conspirou
 
Se calo, grito
A tua boca que não diz
Ai silencio maldito
Vociferado grito
Mata-me, ante ser infeliz
 
Não é acaso o canto mudo
Nem a poesia desconcertante
Sem pejo, serena me desnudo
Na espera desse uivo dilacerante
 
Porque não gritas o mar
No engenho das ondas
Inventa um naufragar
Bramindo realidade
Cede ao augúrio dos dias
Incita-te

Na minha espuma de liberdade!

 

publicado por Utopia das Palavras às 18:54

Ausenda,

Aqui estou, como sempre, para te ler, mas com tão pouco tempo disponível para te pensar.
Estou e trabalho neste Sul que conheces e sabes. O tempo para a net diminuiu drásticamente, passo a desoras e parte do meu repouso que é feito da leitura dos teus e outros poemas.
Não me leves a mal que não comente... fá-lo-ei sempre que o tempo mo permitir.

Um beijo
Meg a 22 de Junho de 2009 às 17:06

Meg

Eu sei o quanto tens que fazer nesta altura de turismo intenso. Deixa lá...terás o descanso merecido lá mais para a frente! Mas não exageres...!

Beijinho

Gostei da tua visita ao Mar á Vista..
Lindo o teu blogue que desconhecia...
"jardineira " das palavras, lindo é o teu poema...
beijinho
anamar a 22 de Junho de 2009 às 17:24

Ana Mar

Falas do "Tempo Agreste", por aqui encontro-te sempre... e o Mar à VIsta é a minha rota!

Beijinhos


Serena te desnudas

em palavras

e já é tanto

MAR ARAVEL a 22 de Junho de 2009 às 23:00

Eufrázio

Obrigada!

beijo

O silêncio é traiçoeiro, grita
a boca maldita
cala a noite,
suspiram as ondas...

Um beijo pra ti
Menina do Rio a 23 de Junho de 2009 às 21:26

Verô

O silêncio confunde-me
tantas vezes!

Beijo


Ausenda:

Sensibilidade, força e liberdade
são o que neste belo poema senti,
gritadas por todo o poema por verdade,
em que eu totalmente me reconheci,
e, como quase sempre, a transfiguração
no mar, com espuma, naufrágio, ondulação.

Um beijinho.
Mírtilo
Mírtilo MR a 23 de Junho de 2009 às 23:16

Mírtilo

Inevitavelmente, acabo sempre...no mar!
Adorei a sextilha!

Beijo

Olá Ausenda!

Com o teu toque de magia
encantas através da poesia
e fazes isso com naturalidade
transmites paz, amor e alegria
do teu jeito, com muita mestria
direi mesmo; com genialidade

Beijo grande
manu a 24 de Junho de 2009 às 21:01

Manu

A magia é tua e a genialidade também!

Beijo Maior

Este é mais um dos seus excelentes poemas que de resto já nos habituou!!!

Gostei muito deste espero enquanto te espero!

Beijinhos,
Ana Martins
Ana Martins a 25 de Junho de 2009 às 00:27

Ana Martins

Obrigada pelo carinho!

Beijo

nessa ilha ,os naufragos que se cuidem!!! ou melhor que saibam navegar na espuma do sal desse mar.
abraço amigo do vale(onde a terra queima e o mar é de suor feito)
duartenovale a 25 de Junho de 2009 às 15:19

Duarte

Na espuma do mar...navegar é preciso e tão necessário!

Bem vindo!

beijo

Boa noite, em nome da organização de blogagem colectiva Aldeia da Minha Vida, quero agradecer a sua participação, na qualidade de leitor(a) e eleitor(a) pelo seu contributo para o sucesso da mesma.
Dia 30 de Junho serão publicados os resultados. Até lá, um bom fim-de-semana!
Susana Falhas
www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
Susana Falhas a 25 de Junho de 2009 às 19:21

*
soberbo, linda,
parabéns
,
libertada espuma
a ponte
entre as
quebradiças vagas,
e as maresias esvoaçantes,
,
um mar de amizade, deixo,
,
*
poetaeusou a 25 de Junho de 2009 às 22:58

PoetaEusou

A ponte
mesmo que ilusória
haverá
de se cumprir
nesse mar!

Beijo

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria