21
Mar 09

 

Não sei quantos são
Mas sinto os seus passos
Talvez um milhão
Talvez mil abraços
 
E andorinhas? E punhos fechados?
São tantos, lactente emoção
De pátria amor, hinos entoados
Estrelas de pontas se ouvirão
 
Sois ardentes, vontades em riste
Olhos raiados a lume de mudança
De justo o lema persiste
Desenhando no céu confiança
 
São muitos
Não sei quantos são
Descerrarão os mitos
Talvez um milhão!
 
 
 
 
Este poema foi resultado do desafio do blog Amador do Verso amadordoverso.blogs.sapo.pt, que me convidou a escrever sobre “Confiança”

 

 

Grata! Manu, a tua gentileza não tem fim...!

publicado por Utopia das Palavras às 16:48

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria