28
Fev 09

 

(mari vilar) 

 
Empresta-me um sonho…simples de sonhar
De cor ausente de dor
Redentor do sorriso e do olhar
Sonho constância multicolor
 
Empresta-me um sonho…de outras madrugadas
Do canto chilreado da liberdade
Dos pequenos nadas
Do cheiro do pão da terra e da vontade
 
Empresta-me um sonho…de poema que desagua
Interlúdio de silêncios estancados
Sonhando versos nascidos na lua
Na boca dos poetas declamados
 
Empresta-me um sonho…flama de encantamento
Onde embale o âmbar da nostalgia
Deslumbre a memória do esquecimento
Para eu poder sonhar um dia
 
Empresta-me um sonho…que me faça correr p´ró mar
Flutuar na carícia de marés singelas
No tempo do vento poder velejar
Fazer um mundo, tocando só nas estrelas
 
Empresta-me um sonho… de amor felino
Rouba-o ao luar, como fruta proibida
Serei dele tocata, ele o meu mais belo hino
Para sonhar…o resto da minha vida!

 

publicado por Utopia das Palavras às 17:59

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape