07
Fev 09

(sumie)

Esperei que com a brisa viesses
Mimar este chão que é nosso
Meu ninho, sem o teu barro emudece
Voar sem tuas asas não posso
 
Fez vento na noite esperança
Branda espera cansando a lua
Onde amanheceu a lembrança
De te esperar tão nua
 
Brisa errante do teu cheiro licor
Meloso meu queixume de ansiedade
E na janela colorida na tua cor
Triste, colei meu verso de saudade
 
Aragem níveo canto da quimera
Meus lençóis chorados entreteceu
E no meu ninho, grávida a Primavera
Estendeu seu manto no lugar que é teu
 
E agora
Nosso ninho de ramos vazio
Espera a tua brisa, noutra hora
Trazendo no bico, grãos de amor, roubados no rio
_______________________________________________________ 
 
 

 

Grata à Céci do blog "Inspiração" letrasepensamentos.blogspot.com/ pelo selo que recebi com todo o carinho. E com o mesmo carinho ofereço a todos os amigos que leêm  "Utopia das Palavras". É VOSSO

publicado por Utopia das Palavras às 19:35

Olá Ausenda!

Já não encontro adjectivos
ou termos de comparação
muito menos os motivos
da tua inesgotável inspiração

Obrigado pela vaquinha. Beijos
manu a 12 de Fevereiro de 2009 às 18:50

Manu

Olha fico sem adjectivos para te responder...!

Beijos

Sublime forma de escrever que me faz reler, voltar atrás, e continuar a surpreender-me com a qualidade e beleza das tuas palavras.. Felizmente estou a conseguir voltar aqui, espero que para ficar..É tão bom ler-te , e ler outras pessoas de sensibilidade acima do comum, que harmonizam na magnitude da nossa mátria língua, tudo o que sinto..Obrigada pela partilha.. Um abraço, Ell
Ell a 13 de Fevereiro de 2009 às 14:25

Ell

Eu é que tenho que agradecer a ternura do teu comentário.

Abraço

Só para te desejar bom fim de semana. Beijinho. Não respondeste aos carapaus alimados!
Eduardo
Eduardo Aleixo a 13 de Fevereiro de 2009 às 14:29

Eduardo

Não me deste tempo para te responder.
Pois é, qualquer algarvia que se preze, sabe fazer carapaus alimados... e eu não fujo à regra, pois então!
Queres a receita? Envio por mail.
Bom fim de semana para ti também
Beijo

*
quando comento aqui ?
á bué de tempo e niépia, Pá
assim não brinco !!!
,
não deixo conchinhas,
prontes . . .
,
poetaeusou
*
poetaeusou a 13 de Fevereiro de 2009 às 14:47

Poetaeusou

Dahh!
Memo!
Tas Kom tda a raza meu!

Kiss

Este poema é como a brisa do mar
Sabe sempre bem cá voltar!

Reler e sonhar!
Um beijinho
rosafogo a 13 de Fevereiro de 2009 às 15:32

Rosafogo

Fica à vontade no meu mar...
a navegar
e a sonhar!

"Pelo sonho é que vamos" (Sebastião da Gama)

Beijo e bom fim de semana

Muito lindo este poema! Com alma! Bj

ainda o silêncio
ainda o vazio das palavras
ainda a dor de um amanhã mudo
sem a luz de um olhar
sem o raiar de um sorriso
ainda um céu cinzento sobre a cabeça
o sol brilha por toda a parte
a parte que me cabe perdeu-se

e o autor desta também não sei...
tossan a 13 de Fevereiro de 2009 às 20:59

Tossan

A parte que me cabe
no silêncio
no vazio das palavras
encontro
na luz de um olhar
e no raiar de um...sorriso!

Beijos

Olá, amiga!
Até que enfim encontro o seu blog!
E gostei da sua profusão de alegorias.
Desejo-lhe um bom fim de semana.

Beijinho.
vieira calado a 14 de Fevereiro de 2009 às 04:59

Vieira Calado

Obrigado amigo, quanta honra em tê-lo por cá!

Abraço
Desejo-lhe também um bom fim de semana

Sim, manda por email, para ver se a receita
é a mesma. Bjs. Eduardo
Bom fim de semana.
Vou ler o teu último poema, com a atenção que merece. Mas já vi que é muito doce.
Eduardo Aleixo a 14 de Fevereiro de 2009 às 18:55

ainda espero a brisa
espero-a pois chegará na hora certa.


abraço
pin gente a 17 de Fevereiro de 2009 às 22:04

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria