09
Out 08

 

 

Rostos de História

De semblantes épicos
Passados de memória
 
Espelhos de platina e ouro
Transparências resgatadas
De um qualquer tesouro
 
Rostos de sulcos vincados
De vida dura
Riachos de água marcados
  
Rostos ditosos de alegorias
Lantejoulas meninas
Luzentes de alegrias
 
Rostos de afagos de miséria
Combatidos de sol agreste
À mingua
 
Rostos displicentes, polémicos
De mentira e retórica
Negociadores anémicos
 
Rostos sem nacionalidade
De beijos e de pele
De distâncias sem idade
 
Rostos de marés e oceanos
De terra, de calos e pão
Fechados de perdas e danos
 
Rostos de mapa difusos
Finos, rudes, desvalidos e abastados
Rostos inclusos!
Ausenda Hilário
 

 

publicado por Utopia das Palavras às 08:55

Do que falam os rostos
Calam os corações
Sobre os seus desgostos

Quantas vezes sobepostos
Ao campo das visões
Denunciadas pelos rostos.

Bgos amiga
POESIA-NO-POPULAR a 9 de Outubro de 2008 às 22:13

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria