15
Set 08

Foi com sentir e certeza
Que o nosso coração abriu
Com a tamanha beleza
Que do nosso trabalho floriu
 
Veio também um sol quente
Escondido por detrás do céu
Não desanimou quem arduamente
Prá festa deu tudo que é seu
 
Já era um mar de gente
No ar foguetes em explosão
Molhada mas resistente
Foi a nossa inauguração
 
A noite fez-se sem mágoa
A festa continuou
Esquecida toda água
Que em nossos corpos secou
 
Em cada rosto encontrado
Sorrisos de felicidade
E no coração tatuado
Momentos de pura liberdade
 
Vimos o sonho de um menino
Que do querer constante
Sonhava de pequenino
Tocar na festa do Avante
 
O sonho fez-se realidade
No palco 1º de Maio, tocou
Momento sublime de amizade
Que connosco partilhou
 
Foram tantas, tantas emoções
Nao é facil descrever
Só os nossos corações
Batendo, o podem dizer
 
Tanta arte que não cansa
Do nosso futuro é o inicio
Na festa fomos esperança
Naquele enorme comicio
 
Para quem nos quer destruir
Fica a verdade nua e crua
A força cresce na palavra resistir
A nossa luta continua!!!
 
Ausenda hilário & Miguel Beirão
publicado por Utopia das Palavras às 18:55

Lindos estes versos, desses dias de magia.
Os pormenores da chuva e do sonho de menino estáo mto bons.
Escritos com parceiro é assim como tocar piano a 4 mãos. Boa experiência
Adorei
beijinhos amiga
MARIA a 15 de Setembro de 2008 às 21:31

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria