07
Jun 08

   (Vieira da Silva) 

 
 
Escrevendo por aqui ando
Com sentido e com prazer
Porque vivo procurando
A partilha e o Saber
 
Da tinta que marca o papel
Às vezes sofrida ou altiva
Rasga de modo indelével
Mancha a cor revolta e viva
 
Poemas, versos e rimas
Nascem daquilo que vejo
Tinta que sempre lastimas
A escrita do meu desejo
 
Dizer palavras é poesia
Exposição do eu sonhador
Mensagens de quem cria
Simples auréolas de amor
 
Escrevo de raiva e paixão
De dúvida e também de certeza
Explodem na minha mão
Simples esboços de firmeza
Ausenda Hilário

 

 

 

 

publicado por Utopia das Palavras às 23:09

Ausenda

Firmeza, palavra forte
para quem a pronúncia
Porque vê nela o Norte,
da sua filosofia.

Abraço
POESIA-NO-POPULAR a 11 de Junho de 2008 às 21:39

Eles não sabem que o sonho,é uma constante da vida,a poesia é sonho,é paixão é revolta,e é a beleza das palavras simples e sensíveis.é o desenho das emoções neste belo poema
Manuel Pereira a 3 de Janeiro de 2009 às 18:28

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape