07
Jun 08

               

         (Desenhos da prisão-Alvaro Cunhal)

 
Povo é aquele que se pinta
Com as cores da revolução
Que quer a desigualdade extinta
Que condena a exclusão
 
Povo é aquele que luta
Contra a hipocrisia e a exploração
Somos povo na labuta
Para ganharmos o pão
 
Ser genuíno é ser povo
E não queremos mudar
Povo seremos sempre
O nosso caminho é lutar
 
Luta do povo é abnegada
Já os nossos avós o fizeram
Herança por eles deixada
Aos que depois vieram
 
Continuaremos assim
Somos povo até ao fim!
Ausenda Hilário
publicado por Utopia das Palavras às 16:04

Ausenda
Tenho estes desenhos todos do Álvaro Cunhal, ou seja a colecção!
Não vou comentar os trabalhos todos (os teus e os do Miguel) mas sinceramente gostei, um forte abraço para os dois.
Manangão
POESIA-NO-POPULAR a 11 de Junho de 2008 às 21:45

Agradecemos os teus comentários
Contamos sempre contigo
Da escrita somos operários
Gostamos de te ter como amigo

Um Abraço
Miguel/Ausenda


"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape