07
Jun 08

                        

Não queiras ultrapassar
Por qualquer meio, qualquer fim           
Ao topo não queiras chegar
Pisando gente sem fim
 
Se é difícil vingar
Com trabalho e sensatez
Não hesites em chegar
Com suor e honradez
 
Não vendas o teu valor
Pois não te sentirás bem
Podes viver com esplendor
Mas serás sempre refém
 
Refém da consciência
E da ética que é importante
Ninguém tem condescendência
Pela imodéstia constante
 
Não se nasce solidário
Muito menos tolerante
Requer exercício diário
Numa aprendizagem incessante
 
Faz da tua primazia
Camaradagem e milita
Exerce a cidadania
Que na Constituição está escrita
Ausenda Hilário
 
publicado por Utopia das Palavras às 15:51

Profunda mensagem esta que escreveste.
Nao te disse, mas gosto mto do blog, ideia gira fazer um blog com outra pessoa. Nao conheço
o teu amigo da escrita, escreve bem tb. Parabens aos dois.Dizia mais mas fico com Adoro-te.
ggm a 11 de Junho de 2008 às 12:15

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape