17
Jan 10

Imaginei-o um rio
E tenho saudade
Desse lugar (im)perfeito
Onde a terra me é vaidade
 
Prenúncio da minha harmonia
Da pele que de sol aquecida
No abrigo da poesia…
Era esse lugar que eu lia
 
Ah é esse o meu lugar…
Tem prados e letras pachorrentas
Tem manhãs de medronho
Montanhas de versos
e improvisos
e tem…vento!
 
Esse é o meu lugar
Com chão de giesta e mar ao pé
Tem de poesia o pulsar
E gorjeios de maré
 
Hoje não o senti
E o meu coração ficou mudo
Crendo que o esqueci…!
 
(imagem: taziana)
publicado por Utopia das Palavras às 15:09

Manhãs de medronho
Gorgeios de maré
Serra
Rio
Perto do mar
É onde fica esse lugar
Não posso divulgar
Mas sei onde é
Porque eu sou medronho
Serra
 Rio
 perto do mar
Sei por isso
Onde te achar
Procurar
Abrigar,
- em manhãs de medronho
Com gorgeios de maré...
- Não se pode dizer,
pois é!....
-
Beijo
Eduardo Aleixo a 18 de Janeiro de 2010 às 18:29

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape