12
Set 09

O mar canta…
quando se entranha
nos olhos
de quem o ama
 
Chora…
com a maré
se o amor
de quem o sente
perdido um dia fora
 
Envaidece-me vê-lo coral
curtindo beijos de sal
que exalta...
vestindo a descoberta
 
O mar…namora-me!
 
 
(imagem: Augusto Lima)
publicado por Utopia das Palavras às 21:23

aaah Ausenda... ando eu às avessas com as palavras que me surgem e vens tu com o teu comentário (ainda que o reconheça hiperbólico)  fornecer-me a arma com que prevalecerei sobre elas!   Sirvo-me da tua escultura:  "Escusa nostalgia/ se hiato não fosse o tempo/ que (fazemos) te faço"




Um beijo! 


PS: Tenho acompanhado, como é meu diário costume, as tuas palavras e tendo a menina andado pouco profícua, tenho-me socorrido das pretéritas. Quem disse que não é bom remoer o passado? Principalmente o dos outros... o cinzel com que talhas a palavra nunca te tremeu nas mãos!  






leal maria a 15 de Setembro de 2009 às 16:56

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape