01
Jun 08

          

Agarro-me a ti
Como aresta de pedra
De queda que caísse
Agarro-me a ti
Com olhar de quebranto
Como se outro mundo não existisse
Agarro-me a ti
Astuta e selvagem
Colando na minha pele a tua
Agarro-me a ti
Despida de luxúria, nua
Agarro-me a ti
Desprendida!

 

Ausenda Hilário
publicado por Utopia das Palavras às 23:37

Gostei de aquí chegar.
do que vi, tambem gostei
Penso que devem continuar
Eu prometo que voltarei.

abraço amigos
POESIA-NO-POPULAR a 6 de Junho de 2008 às 20:23

Obrigada pelo carinho
Da tua escrita tambem gostamos
Todos sabemos o caminho
Persistindo lá chegamos

Volta sempre, esperamos por ti camarada
Miguel/Ausenda

Amei. Singelo, profundo. com garra de quem sabe o que quer.
Parabens!
Bjx
SÃO a 9 de Agosto de 2008 às 09:43

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape