11
Jul 09

 

Norte dos teus lábios no sul do meu seio
Ponto cardial da ilicitude que nos separa ao meio
Norte, que perde, insana e desvaria
meu celeste corpo delongando o dia

 

Espera-te a noite, eternamente lua

Na cama da estrela polar primeira
Universo serei de ti e terra nua
Ébria dos raios cadentes, tua luz feiticeira
 
Teimam meus pés no sol, as mãos no equador
Anulando a ínfima linha que nos separa
São as palavras, uma espécie de amor
No pólo do teu orgasmo que me amarra
 
Puderas ser tu eco ou astro que me influencia
Ou força gravitante que me desprende
Eu serei sempre a impostora poesia
Que no reflexo de ti o verso incende!
 
(imagem: "Universo" de Antonio Pinto Coelho)
 
"Norte dos teus lábios no sul do meu seio
Ponto cardial da ilicitude que nos separa ao meio"
são versos de Leal Maria do blog "Meu Eterno Poema"
embrião para o que se seguiu...!

 

publicado por Utopia das Palavras às 18:40


"eternamente lua"
eternamente minha
eternamente tua...

ficava aqui o resto da noite... amo pink floyd!

Beijo
maria a 11 de Julho de 2009 às 23:30

A sensualidade que almejava e tentei provocar-te está aqui (neste belo poema) toda!!  Dou por bem empregues as palavras que te dei! Tu indicaste-lhes as "geografias do afecto"  que elas desesperadamente procuravam! Conjecturei sobre muitas formas como as complementaria  mas,  já não concebo dar-lhes outra “fisionomia” que não a tua, pois foram todas muito esconsas quando com ela comparada! Quase que sinto raiva de não ter sido eu a escrevê-lo!!

Mas há momentos em que o “amor que se faz” é feito numa absoluta permuta de “corpos com o beneplácito dos astros” que se tornam irrepetíveis… Foi boa esta minha promiscuidade contigo! A repetir!  

leal maria a 12 de Julho de 2009 às 01:07

A sensualidade que almejava e tentei provocar-te está aqui (neste belo poema) toda!!  Dou por bem empregues as palavras que te dei! Tu indicaste-lhes as "geografias do afecto"  que elas desesperadamente procuravam! Conjecturei sobre muitas formas como as complementaria  mas,  já não concebo dar-lhes outra “fisionomia” que não a tua, pois foram todas muito esconsas quando com ela comparada! Quase que sinto raiva de não ter sido eu a escrevê-lo!!

Mas há momentos em que o “amor que se faz” é feito numa absoluta permuta de “corpos com o beneplácito dos astros” que se tornam irrepetíveis… Foi boa esta minha promiscuidade contigo! A repetir!  

leal maria a 12 de Julho de 2009 às 01:09

Leal Maria

Sabes, quando findo um poema fico quase sempre com uma enorme angústia por achar que o poderia ter feito de outra forma, poderia dizê-lo diferente e  isso impulsiona-me para a tentação de o fazer novamente com outro germén, mas regra geral fico-me pelo original, apesar do sentimento lactente. No teu comentário dizes que conjecturaste várias formas de o fazer, pois bem, aguçaste-me também a minha imaginação, por isso, será tanto o meu prazer em lê-lo esculpido por outras mãos e sei que o farás. Esquece por momentos o que escrevi e...
"Norte dos teus lábios no sul do meu seio
Ponto cardial da ilicitude que nos separa ao meio"...são palavras tuas, por favor continua, faz delas um belo poema, como tu tão bem sabes fazer!

Sem ansiedade...mas expectante!

:-)

Beijo

   



Leal Maria

Ai os enganos... queria dizer "Vê-lo esculpido" e não "lê-lo esculpido". Descupa!

Não! Recuso esse teu desafio! Como te disse, é bela a "fisionomia" que lhe deste, e não serei eu que lhe darei outro rosto! Nem que fosse à Ponte da Mizarela (Ver musica da quadrilha com este nome:  http://www.youtube.com/watch?v=-EwGw6Gf-hI&feature=PlayList&p=6536241AFEB332F8&playnext=1&playnext_from=PL&index=12 (http://www.youtube.com/watch?v=-EwGw6Gf-hI&feature=PlayList&p=6536241AFEB332F8&playnext=1&playnext_from=PL&index=12) ), conseguiria engravidar  das palavras com que te emprenhei a alma. Cresceu e eu gosto de o ver assim !  A gente ganha amor às coisas não é!? Deixemos esse teu "filho" belo como está! Por certo prescinde bem de alguma fealdade que lhe possa dar.

Como ficou confuso no meu comentário acima, aqui vai de novo o link para a música da Quadrilha "a ponte da mizarela": 
http://www.youtube.com/watch?v=-EwGw6Gf-hI&feature=PlayList&p=6536241AFEB332F8&playnext=1&playnext_from=PL&index=12 (http://www.youtube.com/watch?v=-EwGw6Gf-hI&feature=PlayList&p=6536241AFEB332F8&playnext=1&playnext_from=PL&index=12)
leal maria a 12 de Julho de 2009 às 22:38


Não! Recuso esse teu desafio! Como te disse, é bela a "fisionomia" que lhe deste, e não serei eu que lhe darei outro rosto! Nem que fosse à Ponte da Mizarela, conseguiria engravidar  das palavras com que te emprenhei a alma. Cresceu e eu gosto de o ver assim !  A gente ganha amor às coisas não é!? Deixemos esse teu "filho" belo como está! Por certo prescinde bem de alguma fealdade que lhe possa dar.


PS: Ausenda, desculpa estas minhas republicações dos comentários mas é que o meu browser anda a por tudo de pernas para o ar.
leal maria (http://o-cheiro-das-lagrimas.blogspot.com/) a 12 de Julho de 2009 às 22:33
l a 12 de Julho de 2009 às 22:41

Pois minha amiga, este meu "grito" é uma manifestação de individualismo; pretendendo celebra-lo e com isso vincar as suas virtudes! Eu sou um crente acérrimo no individualismo e sei-o a génese desta nossa sociedade dita "ocidental",  que tantos tentam deturpar, mas que nos permite explanar todas as nossas potencialidades, incluindo quem as renega e quer amordaçar! 
Eu aprecio-te a beleza com que talhas as palavras, mas não comungo desse teu amor pelo colectivismo. Já foi por demais tentado e mais não fez do que arregimentar o individuo pela sua anulação enquanto tal!  Detesto ser mais um no "rebanho" seguindo a direcção indicada pelo "pastor".  Eu adorava os pára-quedistas e depois de cinco anos nas suas fileiras nem por isso lá fiquei, para não ter que seguir incondicionalmente ordens seguindo a escala hierárquica, necessária à boa coesão. Deuses ou dogmas políticos é tudo a mesma má matéria que desde há milénios nos impõem. Recuso-os!! Para condicionalismos já me bastam os necessários à boa convivência em sociedade. Até te digo mais, Ausenda: não te conheço, mas gosto de ti! Mas põe a hipótese de o "teu" partido comunista um dia ganhar democraticamente e por larga maioria as eleições legislativas e consequentemente, na governação, começasse a aplicar o programa que desde sempre tem preconizado... eu seria uns dos que se faria em armas para os derrubar! Da mesma maneira agiria para com os fascistas! Eu sou um "pretoriano" do sistemas políticos que dão espaço ao individuo e lho reconhecem intrínseco, protegendo-o...
leal maria a 12 de Julho de 2009 às 01:33

Mas claro... há outra explicação mais prosaica para explicar o meu poema "grito": a minha irascibilidade!  ; )
 


Mas deixemos isso e dediquemos-nos às palavras! Este teu poema está....  


Avé Ausenda! Bendita sois vós entre os poetas! Bendito é o fruto do teu "ventre" onde germinam as palavras! 


leal maria a 12 de Julho de 2009 às 01:41

Leal Maria

Apesar da diferença na concepção que temos e queremos para o mundo, apraz-me a tua frontalidade, aceito a tua irrascibilidade perante ele, porquanto a sede do grito é-nos visivelmente transveral. O meu, como é obvio acho-o JUSTO! O teu...gosto do poema!

Beijos  

Cito-me: "há outra explicação mais prosaica para explicar o meu poema..." Fim de citação e declaro que passo a redundância!! LoL (muito gosto eu deste lol) 
leal maria a 12 de Julho de 2009 às 01:49

Belíssimo desenvolvimento que deste ao "embrião"! Parabéns, amiga:))
justine a 12 de Julho de 2009 às 11:41

Hoje só te digo isto...
Como queria saber escrever como tu :)

beijinhos e obrigado
Xana a 12 de Julho de 2009 às 11:46

Cheguei... li... reli... calei... E, mais um vez, percebi porque invejo os poetas todos. Tanto que gostei... tanto que voei no desnorte dos corpos... na deleite das tuas palavras...

Bom domingo

Beijo terno. Muito.
Paola a 12 de Julho de 2009 às 12:49

e o embrião se fez menino....
quanto ao individualismo do leal maria, um colectivo é um grupo de indíviduo... e não esqueçamos a palavra REVOLUÇÃO, que é sinónima de luta. O socialismo(o verdadeiro) é o caminho para o comunismo. Por isso a individuallidade está sempre protegida, desde que haja tolerância.
abraço do vale(e sorry por muito demora)
duartenovale a 12 de Julho de 2009 às 13:10

Meu amigo, revolução é boa em teoria e por vezes necessária! Mas quantas inocentes vitimas faz no seu percurso? Há muitos revolucionários idolatrados no mundo e todos eles foram uns déspotas! Alvaro Cunhal; Fidel Castro; Hitler (sim, a revolução não é um exclusivo da esquerda); Che Guevara; Pinochê; ... demasiado extensa a lista e todos me metem nojo! Bons não são os revolucionários, mas sim os incoerentes: Mario Soares; Roosevelt;Winston Churchill;...



leal maria a 12 de Julho de 2009 às 20:05

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape