23
Mai 09

As palavras que me fazem
Dou-as ao vento e às madrugadas
Faço delas janelas e terras lavradas
Chão, mares e a minha doce aragem
 
Palavras que sagram na pele
Gravam seiva de aventura
Lençóis de linho maculados de ternura
Desmesuradas, ruidosas de fel
 
As palavras que não invento
São as palavras que quero
Ante as vezes do desespero
Mas fome do meu sustento
 
Doem-me as palavras jorradas
E as que finjo e minto
Errantes em labirinto
Em tantas folhas rasgadas
 
As palavras do meu canto
Aninham-se na liberdade
De cerzir amor na verdade
Com os dedos do meu pranto
 
(imagem: internet)
 

 

publicado por Utopia das Palavras às 19:39

Olá Ausenda!

Tuas palavras são ânimo e carinho
tuas poesias são mais que conforto
aqui na utopia ou em outro cantinho
ler-te é prazer e ficar assim absorto

Sempre em grande. E os Pinta-Roxos?
Beijo muito grande, minha amiga
manu a 23 de Maio de 2009 às 21:01

Manu

Tu és um amigo especial
Não é utopia a tua amizade
Embora seja virtual
Gosto de ti de verdade!

Não me provoques... !!!

Beijo Maior

As palavras... as palavras que eu escuto... as palavras que tu dizes no silêncio das que falas... são dessas que eu venho (sempre) à procura. Na certeza de as encontrar... ou não. Venho porque tenho sede________________________________ e as tuas sabem-me tão bem.

Beijo [palavra que reescrevo todas as vezes que a escrevo] terno.

Bom domingo.
Paola a 23 de Maio de 2009 às 22:05

Paola

Nem uma palavra preciso, para te sentir aqui, mas através delas e com elas...o nosso rio continua correndo...azul!

És linda

Beijinho

Corei! Tu é que não viste.... Palavra!!!

Beijo terno.
Paola a 27 de Maio de 2009 às 13:52

Há palavras que não esquecemos
E essas não voltam atrás
As tuas são como musica
E é isso que me cá trás

Bjinhos

Céci
Céci a 23 de Maio de 2009 às 23:36

Ceci

Vendo bem, foram as palavras que nos...uniram!
E isso penso que...não volta atrás!

Beijinhooo :-)

É o SONHO que sustenta o meu querer
Nele sigo as estrelas do teu caminho
E a sonhar, aqui estou é inevitável, vir ler
Palavras de sonho, estas onde me aninho.

Com carinho, da amiga Natália
Adorei como sempre está belo

Bom domingo
rosafogo a 24 de Maio de 2009 às 00:09

Natália

Também o SONHO me sustenta
Nas palavras me abrigo
São elas fogo que acalenta
Este prazer---de estar contigo!

O meu carinho para ti...todo!
Beijo

Há quem diga que palavras não traduzem sentimentos, mas sabemos bem o peso que elas tem!
Aninho-me nas tuas palavras e te sopro um beijo
Menina do Rio a 24 de Maio de 2009 às 15:51

Verô

As palavras às vezes confundem, mentem, fingem, amam, desesperam..mas,
as palavras...têm força!

Beijinho


"As palavras que me fazem".Ora cá está uma enorme verdade expressa metaforicamente.
As palavras fazem-nos!!!
E tu sabes tecê-las de pura melodia e por isso as fabricas (tão) tambem!

P.S. Não tenho publicado.talvez um dia destes.Tenho imenso trabalho, mas não posso ficar indiferente às "tuas palavras".
Beijinho!
Ibel a 24 de Maio de 2009 às 16:06

Ausenda,

Retive mais este belo poema...
"As palavras do meu canto
Aninham-se na liberdade
De cerzir amor na verdade
Com os dedos do meu pranto"
.

Um abraço

Meg a 24 de Maio de 2009 às 18:44

Meg

Obrigada pelo teu carinho!

Beijo

Ibel

Se sentes assim, eu fico grata, mas as tuas amiga....me apaixonam!

Fico à espera delas, lá no teu cantinho!

Beijo

________________________________________________________

Linda ode às palavras!

Gostei demais do seu poema...


Beijos de luz e uma semana feliz!!!

Zélia

______________________________________________________________________
zélia a 24 de Maio de 2009 às 20:55

Zelia

Obrigada pelo seu enorme carinho!

Beijo de luz

OLá Ausenda, obrigado pelas palavras lá no verseiro, lendo alguns comentários aqui, concordo, as palavras conseguem sim decifrar alguns sentimentos, apesar de não significá-los em ações e atos, aqui as palavras ganham vida dentro da alma...belo poema...Um abraço na alma e uma ótima semana para você...
Elcio a 24 de Maio de 2009 às 23:03

Elcio

As palavras descrevem sentimentos, estados de alma, cabe a quem as lê interiorizá-las de acordo com o seu olhar!

Obrigada pelas suas, que amei!

Beijo

Mais um poema de se lhe tirar o chapéu!

Pois é, minha amiga, este já to vou tirar... e levá-lo para junto de um convento... onde o silêncio, antigamente, era o pão nosso de cada dia.

Mas estas 'palavras' bem sentidas valem tanto como o silêncio.

Um beijo terno,
Lucy
Lucy a 25 de Maio de 2009 às 15:18

Lucy

Que te posso dizer?

Já o vi lá junto ao Mosteiro de Landim...comoveu-me!

Grata...muito!

Beijinho

Nada como palavras de verdade e amor para sabermos viver e estarmos bem :)
bonito poema , beijinhos e uma semana feliz amiga!
xana a 25 de Maio de 2009 às 15:46

Xaninha

É bom ler as tuas..palavras!

Beijinho

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape