07
Fev 09

(sumie)

Esperei que com a brisa viesses
Mimar este chão que é nosso
Meu ninho, sem o teu barro emudece
Voar sem tuas asas não posso
 
Fez vento na noite esperança
Branda espera cansando a lua
Onde amanheceu a lembrança
De te esperar tão nua
 
Brisa errante do teu cheiro licor
Meloso meu queixume de ansiedade
E na janela colorida na tua cor
Triste, colei meu verso de saudade
 
Aragem níveo canto da quimera
Meus lençóis chorados entreteceu
E no meu ninho, grávida a Primavera
Estendeu seu manto no lugar que é teu
 
E agora
Nosso ninho de ramos vazio
Espera a tua brisa, noutra hora
Trazendo no bico, grãos de amor, roubados no rio
_______________________________________________________ 
 
 

 

Grata à Céci do blog "Inspiração" letrasepensamentos.blogspot.com/ pelo selo que recebi com todo o carinho. E com o mesmo carinho ofereço a todos os amigos que leêm  "Utopia das Palavras". É VOSSO

publicado por Utopia das Palavras às 19:35

Sem circunlóquios, te digo: Belíssimo!

Abraços.
Carlos Barros a 7 de Fevereiro de 2009 às 22:28

Carlos Barros

Grata pela apreciação!

Abraços

E a Primavera chegará... entregando o seu corpo ao Amor.

Como gosto de te ler...

Beijinhos

Nota - Obrigada pelo mimo.
Paola a 8 de Fevereiro de 2009 às 00:06

Paola

Depois da espera, só a entrega acontece!
Sabes que o inverso também é a pura verdade.

Beijos




Muito bonito o poema!

"...E agora
Nosso ninho de ramos vazio
Espera a tua brisa, noutra hora
Trazendo no bico, grãos de amor, roubados no rio"

Parabéns!

Grata pelo selinho!

Beijinhos Ana Martins
Ana Martins a 8 de Fevereiro de 2009 às 00:38

Ana Martins

Grata pelo carinho

beijinhos

A tua forma de escrever é tão especial... tenho até dificuldade em comentar palavras com que me identifico tanto...

Obrigada.
Um beijo
maria a 8 de Fevereiro de 2009 às 01:19

Maria

Eu percebo o que queres dizer.... e agradeço-te!
Olha que adorei as tuas rimas no outro dia...

Beijinho

Gosto do ritmo e da melancolia doce do teu poema.
Obrigada:))
justine a 8 de Fevereiro de 2009 às 17:06

Obrigada Justine... são igualmente doces as tuas palavras.

Beijos

Belo, belo...
Besitos
Notas Soltas a 8 de Fevereiro de 2009 às 17:38

Ludo

Tu é que andas meloso moço!
Obrigada
:-)
Kisses

Minha querida amiga!
Estás com uma pedalada, que ninguem te acompanha, mas sempre te direi, que.

A utopia é a esperança
Que no horizonte esvoaça
sobre nuvens o desejo dança
Por entre os dedos o amor passa.

Bjos amiga
Gostei muito!
POESIA-NO-POPULAR a 8 de Fevereiro de 2009 às 22:31

Amigo Manangão

Por entre os dedos a utopia corre
nas mãos de um desejo ardente
a nossa esperança nunca morre
amar é força para ir em frente

Beijo, adorei a tua quadra

*
nas asas da quimera
grãos de amor
compensam as esperas,
,
enleante poema, gostei,
,
conchinhas floridas,
,
poetaeusou
*
poetaeusou a 9 de Fevereiro de 2009 às 22:10

Poetaeusou

na espera
adormeço
nas asas da quimera...

beijos


É preciso namorar

O amor traz água no bico

mesmo quando voa

MAR ARAVEL a 9 de Fevereiro de 2009 às 22:13

Eufrázio

Quando se sai do ninho é dificil o regresso!

Abraços


Nessa tristeza que seja ligeira
como a brisa da tardinha
a recolher flores de amedoeira
a perfumar esta saudade minha

Traz na alma o cheiro meloso
do beijo saudoso, do canto que jaz
e sobre a tuas asas de branco sedoso
pouso o meu cansaço e adormeço em paz...

Um beijo pra ti
Menina do Rio a 10 de Fevereiro de 2009 às 01:39

Menina do Rio

Lindo poema em forma de comentário!

Obrigada

:-)

Beijinho com todo o carinho

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape