17
Jan 09

(silkmom)

                                                                                                          

Traidora batalha sem norte

Desmesuradamente cega
Combate de vazias mãos de entrega
Ferindo longe, mas ferindo forte
 
Hoje quero paz
Deslizar os dedos nos fios
Dos teus cabelos esguios
E extinguir-me na calma que me dás
 
Hoje só quero tréguas
Mesmo sendo guerreira selvagem
Quero repousar da coragem
No imenso prado das éguas
 
Pressentir o medo de feroz luta
Faz cansar a força que se esvai
Lenta e lânguida a espada cai
Negando o sofrer da disputa
 
Que pare o ciclo dos dias na minha mente
Da guerra quero indignar-me
Chamar o mundo e chorar-me
Dar-me à paz incondicionalmente!

 

publicado por Utopia das Palavras às 20:13

Incondicionalmente
me silencio
Desmesuradamente
me emociono!

Lindo, amiga. Tem a beleza que as palavras transportam nas suas emoções.

Beijinhos


Paola a 17 de Janeiro de 2009 às 21:41

Paola

A beleza também...incondicionalmente!

Beijinhos, amiga

Deixei um mimo para ti e tu não foste lá...

Jinho
Paola a 24 de Janeiro de 2009 às 01:28

versos de paz e de indignação,em grito cansado da injustiça
Manuel Pereira a 17 de Janeiro de 2009 às 22:22

M.Pereira

É isso amigo... versos gritados, de tanto querer!

Beijo

Hoje
incondicionalmente
me entrego à poesia
Hoje
e todos os dias...
maria a 18 de Janeiro de 2009 às 02:43

Maria

Á poesia...nossa entrega
e todos os dias... as nossas causas!

Beijo

Todo guerreiro necessita de repouso pra recomeça...

Um belissimo poema

Beijinhos
Menina do Rio a 18 de Janeiro de 2009 às 18:16

Verô

Necessidade fulcral para poder continuar...!

Beijo, amiga

Muito bonito o seu blog. Palavras cheias de poesia de verdade! Vou voltar. Abraços
fptossan@hotmail.com a 18 de Janeiro de 2009 às 21:21

Tossam

Grata pelas tuas palavras!
Também o seu blog é cheio de cores e sentimento!

Abraço tamanho do oceano que nos separa!

mesmo uma guerreira por vezes merece uma trégua
bj
luna a 18 de Janeiro de 2009 às 21:22

Luna

O mundo merece... uma trégua!
Infinita e definitivamente!

Beijo

Sim, amiga, que tenhas paz, que tenhamos paz, todos, embora seja uma conquista individual, promeiro, uma bênção, um bálsamo, uma disponibilidade generiosa, um caminhar difícil de se conquistar, mas eu acho que vale a pena...
Beijinho.
Eduardo
Eduardo Aleixo a 18 de Janeiro de 2009 às 23:31

Eduardo

Todo o caminho é difíci.
Trilhá-lo à procura do sonho... vale a pena!

Beijo, amigo

Mas há caminhos fáceis.
Mas os caminhos de que falamos são difíceis. Os do amor, da paz, da justiça, da harmonia, da verdade.
Sim, concordamos, sinto.
É bom.
Beijo.
Edsuardo
Eduardo Aleixo a 20 de Janeiro de 2009 às 18:01

*
a guerra
fere-nos a alma
confunde-nos a mente
torna-nos incapaz
eu grito … quero paz
já … porque é urgente
quero viver com calma
quero a paz na Terra
,
conchinhas, deixo-te
,
*
poetaeusou a 19 de Janeiro de 2009 às 09:34

Poetaeusou

fere
de morte
mata
a fantasia
aniquila
o sonho

Por isso não deixemos de gritá-la! PAZ!!!!

Beijos

Bonita maneira de pedir paz. Uma sedução que nao me deixa indiferente.
Tambem quero paz assim e para todo o mundo tambem.
Comovente

xis..mtos
Paulo a 19 de Janeiro de 2009 às 11:33

Paulo

Todas as maneiras são bonitas para pedir a paz!
Que o mundo nos ouça!

Bj

Se todos nos déssemos à paz, incondicionalmente!! Seria certamente um mundo melhor...
justine a 19 de Janeiro de 2009 às 16:22

Justine

Nós damo-nos!
Todos certamente chegarão lá!

Beijo

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape