20
Dez 08

 

Natal menino
 
Tão pequenino
 
 
Natal sem verso
 
Num dia tão breve
 
De sentido inverso
 
E as mãos vazias…
 
De sonhos perdidos
 
Reclamam os dias
 
Do fim dos desvalidos
 
Natal menino
 
No ano esquecido
 
Natal pequenino
 
De caridade crescido
 
Perpétuo Natal
 
No momento de dar
 
Tão breve o Natal
 
Do tempo de amar…!”

 

publicado por Utopia das Palavras às 21:58

Tão breve... tão breve... Mas é Natal...
Boa escolha musical
Besos Quasi En El Sur
Ludo Rex a 20 de Dezembro de 2008 às 23:13

Ludo

Queria que fosse todos os dias!
Bem vindo ao Sul!

Kiss

natal simbolo de amor
beijinhos
luna a 26 de Dezembro de 2008 às 15:38

Escreve muito bem mesmo! Lindo o seu texto com poesia condensada como eu gosto.
Feliz Natal.
Ibel a 21 de Dezembro de 2008 às 02:27

Ibel

Obrigada pelo teu carinho!
Feliz Natal
Um beijo

Natal,com tristeza implícita.
Que o teu Natal,seja mais alegre que o verso
Manuel Pereira a 21 de Dezembro de 2008 às 09:54

M.Pereira

Não é triste... só queria que fosse igual para todos.
Feliz Natal para ti.

Um beijo

Lindo poema de amor, o teu.
Que o Natal não seja breve, no entanto.
Seja sempre.
Dentro dos corações.
Beijo.
Bom Natal.
Eduardo
Eduardo Aleixo a 21 de Dezembro de 2008 às 15:46

Eduardo Aleixo

Tempo de amar...sempre, não só no Natal!

Bom Natal para ti

Beijo

O Natal,
foi invadido
Contagiado esquecido
O Natal
Foi esvaziado
de contudo foi profanado
o Natal
é criança é amor
é ser vida é ser melhor
O Natal
Não é missão para cumprir
mas exemplo para sentir
O Natal!

Muito bela, a tua poesia companheira

Um bjo Natalício
POESIA-NO-POPULAR a 21 de Dezembro de 2008 às 17:15

Manangão

O Natal é ser melhor
todos os dias do ano
é ser sempre maior
Um dia só...é engano!

Boas Festas, companheiro
Um beijo

Que o teu Natal se prolongue no tempo.

e recebas o que mais desejas.
Um natalício.
manu a 21 de Dezembro de 2008 às 18:52

Paola

É só querermos... e será Natal!

Sê feliz, amiga e Boas Festas

Beijinho

Manu

Que se prolongue o Natal de todos os homens...!

Feliz Natal para ti

Beijo

A mim parece-me que fala de tristeza,mas numa segunda leitura,percebo melhor,quando dizes breve,queres dizer,que todos os dias deveriam ser Natal
Manuel Pereira a 21 de Dezembro de 2008 às 20:53

M.Pereira

É isso amigo... Natal pequenino, muito breve.
Queria que esse espírito perdurasse nos homens e que se estendesse a toda a gente, por igual!

Seu poema é belíssimo!

Apesar de triste, traz a verdade em seus versos...


Beijos de luz, o meu carinho e um FELIZ NATAL!


ps. não tinha a sua foto lá... Agora já tenho!
zelia a 22 de Dezembro de 2008 às 18:02

Zélia

Triste por ser a minha verdade!
Obrigada por todo o seu carinho, ao longo destes meses!
Gostei de ver a foto. Muito, muito obrigada!

Beijos de luz também para si e FELIZ NATAL

Obrigado pela visita,sobre os comentários,eu deixei de receber comentários anónimos,mas uma vez,que não podes comentar com este blog,vou alterar,Não é que tenha recebido comentários anónimos,mas muitos amigos têm recebido comentários ofensivos,feitos por anónimos
Beijos
Manuel Pereira a 23 de Dezembro de 2008 às 03:40

M.Pereira

Sempre podes sujeitar os comentários à aprovação, antes da publicação.
Obrigada pela atenção.
Bj

É breve mas é sincero, é triste mas é verdadeiro!

Adorei

Feliz Natal ((*_*)))

Liat
Anónimo a 23 de Dezembro de 2008 às 09:44

Liar

Leste bem nas entrelinhas, amiga!

Um Beijo

FELIZ NATAL :-)

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape