28
Nov 08

 
(Fernando Baleiras)
Espasmos de anseio que auguro
Donde longínquo mora teu espanto
Vem buscar-me! Só, carrego tanto
A pressa de te dar o meu encanto
 
Arredio instante de alva promessa
Migando a noite aluada de espera
Resguardo de mim a seiva que te teça
Ocaso que me funde na tua quimera
 
Aporto, chegando repentina
Para sentir o gosto da tua boca a roçar
Em recantos lívidos de desvario
Na perversa vontade de te tocar
 
E eu assim dormente de te ter
Arrasto-te na fímbria do meu prazer
E no madrugar de êxtase premente
Se entrosa o impulso do suceder
 
Sublimação…!
No ocre do tempo em penumbra
Desejo austero que quero meigo
Como mar paixão, que ante me deslumbra!
  

 

publicado por Utopia das Palavras às 10:05

*
o meu espanto
no resguardo do ocaso
o repentino desvario,
roça a perversa vontade,
no deslumbre da paixão,
,
sonhadas conchinhas,
deixo,
,
*
poetaeusou a 28 de Novembro de 2008 às 18:22

Poetaeusou

No deslumbre
alcanço...!

conchinhas pra ti

Hummm, ui este poema... Ardente, bem ardente...
Kisses
Ludo Rex a 28 de Novembro de 2008 às 21:48

Ludo

Nada a dizer, o teu comentário é eloquente!!!!!

Kiss, moço

Deslumbrante! Um poema divinamente lindo. Vai-te e te entrega aos anseios...

Tem um ótimo final de semana

Beijinhos
Menina do Rio a 28 de Novembro de 2008 às 22:53

Menina do Rio

Obrigada amiga, pelo teu carinho!

Beijos

Porque é o que faz falta... Vamos acordar a malta...

Avisemos os Povos... Bora daí, bora!

(Bom Fim de Semana e Muita Luta! (http://www.pcp.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=32560&Itemid=610))
Ludo Rex a 29 de Novembro de 2008 às 01:18

Ludo

E assim foi... com muita garra!

beijo

Como mar é admirável! A paixão enrola-se na espuma e o mar pinta-se de azul...os corpos ondulam a sabor das ondas. O mar e o céu fazem amor infinito, lá longe, no horizonte...

Grande fim-de-semana

Beijinho

Paola a 29 de Novembro de 2008 às 19:20

Paola

E não é um mar?
A paixão?

Beijos, linda

entre espasmos de encantos
a vida aporta no cais do amor
beijinhos
luna a 29 de Novembro de 2008 às 21:35

Luna

E esse cais... é o nosso porto de abrigo!

Beijinhos


O amor não tem fronteiras

nem nos olhos dos pássaros

mar aravel a 1 de Dezembro de 2008 às 00:24

Eufrázio Filipe

E nos olhos dos pássaros é ele uma vastidão....!

beijo

Ausenda

Vai se o desejo for
Ditado pelo pensamento
Transforma tudo em amor
Que é o melhor alimento.

Gostei poetisa, um bjo!
POESIA-NO-POPULAR a 2 de Dezembro de 2008 às 17:46

Camarada Manganão

Vou sim
sempre que puder
è tudo para mim
É o infinito do meu ser!

Beijos

A paixão segundo Ausenda...........
A paixão é sempre boa!

beijos
Ana Camarra a 2 de Dezembro de 2008 às 20:50

Ana

É sim, segundo mim e segundo todos!

Beijos

Ausenda,
Está tudo aceso, sem dúvida, tudo ligado, gostei de te conhecer no congresso, espero que possamos compartir a luz da alegria que os nossos olhos iluminará durante o próximo ano.

A revolução é hoje!
CRN a 3 de Dezembro de 2008 às 09:53

CNR

Sem dúvida que tá tudo aceso. Também gostei de te conhecer e da conversa que tivémos.
Espero que hajam frutos...sumarentos e maduros!
beijos

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape