23
Nov 08

                                                                                           

Saberei eu definir o sabor do azul?
Saberei ler os meus próprios olhos
Quando inundados...
Agitam luas de todos os sentidos?
 
 
Saberei eu um dia ler na raiz
Da frondosa árvore e da sua seiva
Inventar enigmas de mel?
 
 
Certa que descobrirei no luto                        (joan miró)
Das riscadas asas dos pássaros
Amputadas pelo vendaval dos ninhos
 
 
E saberei olhar-te com ancestral avidez                          
Trespassar-te com eróticos compassos
Do ondular do meu corpo
E delirando, saberei chegar-te!
 
 

 

publicado por Utopia das Palavras às 21:29

...............
e delirando, saberás chegar-lhe.
Não duvido, mesmo...
Lindo!

Um beijo
maria a 23 de Novembro de 2008 às 23:46

Maria da Ilha

Delirando chegarei... chegaremos todos!

Beijo

Saberás chegar é claro que sim!
Porque está tudo claro.

beijos
Ana Camarra a 24 de Novembro de 2008 às 13:56

Ana
Claro que sim... basta querer!
Beijos

Envolvente, Ausenda. E quente! Que palavras...
Beijos
Lúcia a 24 de Novembro de 2008 às 14:03

Lucia

Obrigada
Quente é uma boa definição! Gostei

Beijos

Claro que consegues... Kiss
Ludo Rex a 24 de Novembro de 2008 às 15:30

Ludo

Achas que consigo? Acredito em ti moço!

Beso

As dúvidas dissipadas pela força do sentimento, pelo fulgor da poesia! Sim, claro que saberás:))
justine a 24 de Novembro de 2008 às 20:12

Justine

Que sempre o sentimento seja sinónimo de força!

Beijo

o sabor do não saber aquando do sentir é como um nectár para os sentidos em que todos se confundem e se inundam de si próprios...

um abraço
Luis
jangadadecanela a 24 de Novembro de 2008 às 22:23

Luis

O desconhecido é adrenalinico, é na realidade um néctar. Tens toda a razão!

Beijos

Quem escreve como tu, e exprime tão bem os sentimentos, chegará onde quizer!

Boa noite
Bjinho
Liar a 24 de Novembro de 2008 às 22:53

Liar

És muito gentil. Obrigada pelo teu carinho.

Mil beijosl

Descobre-te e alcanças o AZUL
F Nando a 24 de Novembro de 2008 às 23:21

Nando

Faço um esforço para chegar a esse descoberta!

beijos

É esse o caminho certo, nos teus versos e na vida!
Poetiza que me surpreende cada dia.
Bom mesmo

xi...
PAULO a 25 de Novembro de 2008 às 17:56

Paulo

Tu és a pessoa que mais me surpreende, não eu a ti.
Ja conhoces o que escrevo, não te deves surpreender!

Abraços

Tão lindo!
Obrigada pelos belos momentos que nos proporcionas, neste teu sitio tão calmo

Abraços da Lagartinha de Alhos Vedros
Anónimo a 26 de Novembro de 2008 às 08:52

Lagartinha

Gosto de saber que te sentes bem aqui! É uma honra!

Beijos

"Balada da Liberdade" livro de Miguel Beirão, prefácio de minha autoria e capa de Dorabela Graça
Partilha em co-autoria
Um pouco de mim também...!
visitor stats
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape